Literatura

Dragões de Éter (Vol. 2 – Corações de Neve) de Raphael Draccon

Corações de Neve, de Raphael Draccon

E continuando com a série Dragões de Éter, passo por aqui para falar um pouco do segundo volume: Corações de Neve. O livro é independente do primeiro, digo, existem referências, menções, mas nada que o obrigue a ser lido (Caso você queira perder uma parte desse Universo de Nova Ether), porém, recomendo a leitura fortemente!

A releitura dos contos de fadas continua, mas com uma ênfase bem menor que no primeiro. Quem leu o primeiro volume da série, já consegue uma vaga ideia do que se trata, ao menos, o título. Nesse segundo volume encontramos um Raphael Draccon mais amadurecido, um bardo mais ciente de seu público e até mais seguro de si ao colocar em sua história algumas de suas inspirações: Bruce Lee. Uma referência claro! Ah, quem ler a mini biografia do autor irá encontrar isso. 😀

Em Corações de Neve, já entrosada no Universo, consigo definir os personagens centrais, e até, um favorito! Claro, o príncipe oras, que não é nenhum boboca que chega num cavalo branco e dá um beijo na princesa. Parece uma pessoa comum, tanto que tem sósia para aparecer  no lugar dele quando ele tem coisas mais legais a fazer e isso é bem importante.

Preciso ressaltar uma coisa: odeio filmes de luta, acho nojento, e com situações desnecessárias, mas me peguei grudada nas páginas em meio a um torneio de pugilismo louca para saber quem iria vencer. E apesar de não saber nomes de golpes e nem ao menos me interessar sequer do que poderia ser (exatamente) um jab, prossegui a leitura sem traumas, e muito bem obrigada.

Agora, os destaques:

“Ele sentiu o coração amolecer. A garota à sua frente era tão especial, mas tão especial, que ele sentiu medo de não ser capaz de ser a pessoa certa, simplesmente de merecer estar ali.”

“A menina passou os dedos pela capa, fascinada. O livro era preto, e esse detalhe era particularmente interessante. Em Nova Ether, ao menos em Andreanne, os cadernos, principalmente os utilizados nas escolas reais, eram livros grossos que o Rei mandava preparar sem texto algum. As crianças os guardavam pelo resto de suas vidas e utilizavam o mesmo ano após ano, mesmo porque era muito difícil alguém chegar ao final dele. Aqueles que o conseguiam, costumavam se tornar poetas.

Ou romancistas.”

“- O pentagrama… – explicou Madame Viotti – …na verdade, é um símbolo puro. Algumas fadas caídas o inverteram, mas não foi o símbolo que ficou impuro. Foram elas, compreende?

– Mais ou menos.

– O pentagrama como vê em seu caderno, com a ponta para cima dentro de um círculo, representa os quatro elementos regidos pela essência sagrada.”

Hummm, só acho que os livros poderiam ser menores, nossa, como é pesado carregar para todo lado! Brincadeiras a parte, recomendo a leitura para aqueles que curtem fugir um pouco do tradicional e tem mente e coração abertos.

Minha nota é 4 (1-5). Leia! Vale a pena!

Autor: Raphael Draccon
Editora: Leya
Número de páginas: 495
Ano de publicação:  2009

Links:

Dragões de Éter (Vol. 1 – Caçadores de Bruxas)
Compre aqui: Dragões de Éter – Corações de Neve
Converse com o autor no twitter

E seguindo para o próximo volume: Círculos de Chuva. o/

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.