Astrologia

1º Trabalho – O Leão da Neméia

É… Sábio quem disse que a história se repete e que aprendemos muito estudando o passado. Veja bem, não estou dizendo para viver o passado, apenas dar uma estudadinha, fazer uma análise, e com certeza encontrarás uma situação repetitiva, mas isso você só vai conseguir se tiver paciência e observar.

Não foi diferente com Hércules, quando ele, logo após consultar o oráculo de Delfos, para entender seu passado, onde ouviu que deveria colocar-se a disposição de Euristeu, seu inimigo, e realizar-lhe 10 trabalhos (não viajei não, o oráculo disse 10, o problema é que Euristeu desconsiderou 2 deles, acrescentando então substitutos). Assim Hércules, após recuperar-se de sua loucura, mas sentindo a culpa de suas consequência, baixa a cabeça e submete-se arrogância de Euristeu. Somente assim poderá redimir-se de seu erro, tornando-se um imortal.

Euristeu, na realidade, não quer que Hércules realize nada, em sua arrogância e egoísmo cego, procura passar-lhe sempre tarefas impossíveis de serem realizadas por um simples mortal, porém, Hércules não é um simples mortal, mas sim um semi-deus, filho de Zeus e Alcmena. E assim sendo, possui a proteção de outros deuses, entre eles Minerva.

Seu primeiro trabalho consiste em matar uma besta que ronda a região de Neméia. Uma fera, um leão de proporções incomuns. Conta o povo que o leão caiu da lua, outros dizem ser um presente de Silena, deusa da lua, à Hera, e que esta ordenou sua ida as florestas de Neméia. O leão da lua que além de três vezes maior que seus primos terráqueos, tinha a pele de aço, sendo então impossível ser atingido por qualquer arma, o que lhe dava a fama de ser invulnerável… Hércules procurou por rastros do leão, mas demorou a ter sucesso e quando encontrou, o mesmo estava dentro de uma caverna, e, como bom caçador que era, Hércules resolveu vigiar os hábitos do leão para então bolar uma estratégia de ataque, percebeu que este escondia-se a noite, e gostava de caçar e aterrorizar ao alvorecer, abrigando-se novamente na caverna. Hércules decidiu enfraquecê-lo, fazendo-o mudar seus hábitos, e mesmo que suas flechas não penetrassem em sua pele de aço, as mesmas provocavam um impacto que assustava o leão, que mantinha-se refugiado em sua caverna. Hércules então decide atacar, e uma voz lhe diz que não deve usar armas (em Monteiro Lobato, essa voz é a Emília dando palpites), e ouvindo a voz, deixa sua clava de lado partindo para um confronto corpo a corpo com o leão. A voz volta a sussurrar que sufoque-o mas, que seja devagar. E assim, Hércules tira a vida do leão, aos poucos, sufocando-o. Para provar que o matou, leva-o a Euristeu e tira-lhe a pele em sua presença, esse, enojado ordena que retire-se levando a besta e sua carcaça. A pele invulnerável torna-se então o novo manto de Hércules, e a cabeça do leão serve-lhe como elmo.

A representação astrológica do Leão da Neméia traz a relação com o signo de Leão, não por causa apenas do leão, mas pelas atitudes de Hércules, cuja busca tem como primeiro trabalho livrar-se de seus vícios e defeitos, ele sente-se culpado pelo passado, e quando parte para a captura do leão, percebe o quanto esteve cego, sem perceber os detalhes a seu redor mas apenas a si próprio. Ele precisou agir com paciência e prestar atenção aos hábitos do leão para então poder derrotá-lo. Tornando-se assim, invulnerável enquanto usa sua pele. Ao capturar e matar o leão, Hércules aprende a simplicidade, percebe que todas as suas armas são inúteis diante da fera e para derrotá-la usa apenas suas próprias mãos, força e coragem.

E assim, Hércules volta-se a Euristeu à espera de seu próximo trabalho.

Até a próxima!! 😀

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.

  • Wolf

    Oba! Que bom!! Desse jeito nao vou nem precisar fazer o curso mesmo 🙂 Vou aprendendo tudo aqui, inclusive as ligações com a astrologia 😀

    Ao observar o inimigo, muitas vezes encontramos nós mesmos, e qdo isso acontece invalida nossas armas.. Somente com muita coragem reconhecemos nossas fraquesas e os pontos fortes do inimigo, e vamos de mãos limpas enfrenta-lo. Caso tenhamos sucesso, é natural que essa vitória nos deixe invulnerável às fraquesas de outrora, e que ainda assim consigamos carregar conosco aquilo que o inimigo tinha de melhor 🙂

    • É… alguém vai fazer falta no curso… Adorei a reflexão… Seus comentários tem características de post… Continue compartilhando!!! 😀

      Beijos