Literatura

Ponte para Terabítia de Katherine Paterson

Nada como uma leitura leve para ocupar um intervalo em que dificilmente poderia fazer algo útil. Assim que terminei a leitura anterior (uma das), coloquei na cabeça que deveria ler o livro do desafio literário deste mês, mas, sabe, deu uma preguiiiiiiiça, e acabei resolvendo ler algo mais leve e rápido. Nem sei se termino a leitura do mês, mas que essa leitura a parte valeu cada instante, ah, valeu mesmo!!

Conheci esta história no cinema, quando tivemos a chance de pela primeira vez na vida assistir um filme numa sala vazia, lembro de ter estranhado na época, e até achamos que o filme seria decepcionante. Afinal, não ligamos, estávamos ali apenas para relaxar a mente. E é assim que peço que encare a história: “Feche os olhos e abra sua mente!” 🙂

Tanto filme como livro são ótimos, vale uma tarde chuvosa, e para todas as idades! Filhote já assistiu e aprovou, tanto que pediu para passar duas vezes seguidas! Acho que ele perdeu algum personagem no meio do caminho…

Quando vi que existia um livro por trás do filme, fiquei curiosa e já o deixei disponível para que pudesse desfrutá-lo assim que possível. Li uma versão no formato digital. Conta a história de duas crianças, de classes distintas, que tornam-se amigas e juntas acabam criando um mundo paralelo. O garoto (Jesse Aarons)gosta de desenhar e a garota (Leslie Burke) vive criando histórias. Podem ver mais detalhes com spoilers por aqui.

A autora o criou para contar ao seu filho e inspirou-se em Nárnia, ela deixa isso bem claro no livro. Tanto que, por essa razão, vou dar alguns pontos a mais para o livro, óbvio, pois nele está bem claro que a garotinha não é piradona, mas sim fã de Nárnia, tanto que no livro ela empresta a coleção. E curiosidades a parte, Terabítia é uma das ilhas de Nárnia. O filme é super fiel, apenas com alguns detalhes, que apesar de importantes, não alteram a história em si. E diria mais, notei mais sentimento no filme do que no livro. Acredito que a autora preferiu buscar mais para  o infantil, não querendo pegar pesado. Isso empobreceu um pouco, e a meu ver tornou o filme digno de uma chance, mesmo que eu o classifique como Sessão da Tarde, mas garanto que muito mais interessante que Lagoa Azul 20. 🙂

“— Já sei… — ela estava se animando cada vez mais.
— Podia ser um lugar mágico, como Narnia, daqueles livros de histórias. E o único jeito de chegar lá podia ser se balançando nesta corda encantada.”

“— Vamos até o bosque sagrado, invocar os Espíritos e consultá-los, para descobrir de que mal se trata e como devemos combatê-lo. Porque em verdade percebo que não é uma chuva comum esta que se abate sobre nosso reino.”

Se tivesse escolher uma pontuação, creio que  4 (1-5) estaria de bom tamanho.

Beijinhos.

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.

  • Tenho bastantes curiosidade em ler este livro, mas ainda não tive oportunidade. Já está na minha lista de desejados. 😀

    Obrigada pela visita ao meu blog!

    Beijos!