Astrologia

4º Trabalho – Capturar o Javali de Erimanto

O quarto trabalho foi mais uma tentativa de Euristeu em acabar com Hércules, uma pena que Hércules estava obedecendo o oráculo de Delphos, pois que dá vontade de vê-lo dando uma resposta atravessada para o covarde Euristeu, ah isso dá!!

Apesar de ter levado um ano para capturar a Corça, Euristeu deduziu que o 3º trabalho havia sido muito fácil. Assim como os outros também, afinal, matar um Leão, e uma Hidra, não tem coisa mais fácil, então, resolveu pedir para a próxima missão a captura de uma criatura viva: O temido Javali de Erimanto!

Diz a lenda que o javali era uma criatura terrível que estava devastando terras. Hércules recebe um arco, mas como não tencionava matar, resolve deixá-lo e ir a captura de mãos vazias. No caminho, Hércules percebe o quanto as pessoas estão amendrontadas, e seguindo caminho, encontra-se com o centauro Pholos, ambos começam a conversar tão animadamente que Hércules esquece sua meta. O centauro o convida a beber vinho, e logo chamam outro centauro, Cherion. Tão animados estão, que não percebem que estavam bebendo vinho do barril do grupo de centauros. O trio, de tão embriagado, chama a atenção dos demais centauros, que ficam furiosos ao ver que o trio estava bebendo do vinho. E assim começa uma violenta luta, onde Hércules vê seus companheiros de bebida serem brutalmente mortos. Hércules fica arrasado.

O que tem essa história com o 4º trabalho? Bom, primeiro, que ela acontece em um momento que Hércules se distrai. Segundo que a luta que tem com os centauros acaba sendo tão perigosa quanto a criatura que tem que capturar. Os dois centauros representam a forma física (Phobos) e o pensamento (Cherion), que não conseguindo dominarem-se acabam tomando vinho alheio. Este teste representa o controle emocional e mental do desejo. E esse autodomínio que Hércules precisa para capturar o javali é representado pelo signo de Libra. Após controlar-se e voltar a sua meta, Hércules resolve planejar a melhor forma de capturar a fera. Arma uma armadilha e aguarda. Não foi rápido, foi um trabalho de paciência. Como não podia matá-lo, Hércules predispôs-se a esperar. E assim, tempo depois, quando faminto, o Javali cai na armadilha, tenta escapar, mas desiste. Hércules tenta domesticá-lo e ensiná-lo, assim o javali vai se tornando dócil. Hércules, então consegue entrar na cidade carregando o javali segurando apenas pelas patas traseiras. Todos se espantam com a cena, e então Hércules sente-se satisfeito e realizado. Sim, a tarefa estava finalizada, restava avisar a Euristeu.

E assim, quando Hércules entra no palácio, com a fera (domesticada) nos braços, Euristeu amedrontado esconde-se num vaso ao lado de seu trono. Apesar de dócil, a criatura mantinha suas feições de fera, e claro, Hércules não se deu ao trabalho de explicar nada a Euristeu. Com o trabalho reconhecido, Euristeu pede a Hércules para que suma de sua frente com a fera.

A representação de Libra vem trazer o equilíbrio em suas atitudes, Hércules escolhe entre força bruta e estratégia, físico e mente, o belo e o feio, interior e exterior.

E mais uma vez, após um longo trabalho, Hércules aguarda, de cabeça baixa, a próxima ordem de Euristeu.

Até o próximo!

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.