Literatura

Julie & Julia, de Julia Powell

Este ano abro o Desafio Literário 2012 com a leitura de Julie e Julia – 365 dias, 524 receitas e 1 cozinha apertada, pertencente ao tema de janeiro: literatura gastronômica. (e sim, estou atrasada para escrever as leituras de dezembro… #shame )

Bem, mas vamos ao que interessa! Assisti ao filme primeiro, já faz um tempo, e enquanto li, sentia uma forte vontade de revê-lo. Quando vi o filme acabei imaginando que o livro fosse uma transcrição fiel do blog original, e não é. O livro conta a história do projeto de Julie, desde suas frustrações, a ideia (de fazer todas as receitas do livro de Julia Child) e sua conclusão. Digamos que o livro pura e simplesmente conta a história dos bastidores do projeto, alguns posts acabam tendo destaque no livro. Outra curiosidade que tinha, era se encontraria as receitas no livro. Na verdade, nem sei se o blog original possuía alguma receita, pelo que percebi, Julie conta a história da facilidade ou dificuldade de fazer a receita, junto com suas impressões. Resumindo, se for comprar a livro por causa das receitas que viu no filme, é melhor que procure pelo livro de Julia Child OU busque pelos programas dela no youtube (é divertido ao menos).

A história é contada como se estivéssemos frente a frente, a linguagem é simples, e as vezes até grosseira, o que no meio do projeto isso passa a ser uma espécie de marca registrada de Julie, e até mesmo os leitores mais antigos do blog repudiam os mais novos quando estes a criticam (pela linguagem). Fica claro que a Julia apresentada é aquela que vive no imaginário de Julie, esta a idolatra. Livro e filme são extremamente parecidos, ao final, acredito que possa dizer que um complementa o outro.

É uma leitura rápida e divertida, e, confesso que em alguns momentos consegue te deixar com água na boca, enquanto que em outros consegue te enojar de tal forma que dá vontade de pura e simplesmente largá-lo bem longe. Julie cita o nome original das receitas, vale saciar a curiosidade e jogar no google/imagens mas, como disse, nem sempre vai ser legal.

“Julie, você trabalha como autônoma. Qual é a vantagem de ser autônoma se não pode largar tudo e dar um tempo de vez em quando? Não era isso que você queria?”

“Hoje em dia, com um laptop de segunda com acesso à internet, qualquer um pode proferir seu uivo primal sobre os telhados do mundo. O surpreendente porém é que, para cada indivíduo que tem algo a dizer, parece haver ao menos um punhado de pessoas interessadas em ouvir. E algumas delas nem são seus parentes.”

“Como Água para Chocolate é entremeado com receitas, as quais, na época, eu não tinha como saber que eram, em grande medida, literárias, isto é, fictícias. Enquanto folheava o livro de forma indolente, veio-me a idéia: fazer uma codorna ao molho de pétalas de rosa! É isso aí.”

Eu tinha que colocar a citação do outro livro que estou lendo: Como água para chocolate. Cômico imaginar que ela tentou fazer a receita. Aliás, poderia citar “preocupante”, pois as receitas acabam levando ingredientes um tanto inusitados, mas vou parar por aqui, entrarei com mais detalhes quando chegar a vez do post dele. 😀

Apesar de ter gostado da leitura, acho que fui com muita sede ao pote, imaginava mais. Vale a diversão, mas não posso te dizer que valha o preço.

Nota 4 (1 – 5).

Autor: Julie Powell
Editora: Conrad
Número de páginas: 312
Ano de publicação:  2007

Vale uma tarde chuvosa, não mais que isso.

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.