Literatura

Os Crimes ABC, de Agatha Christie

Essa leitura fez parte do Desafio Literário de Março, que tratava de crimes seriais, mas, apesar de ler lido em tempo, a onda de preguiça (para escrever) baixou por aqui e parou. Vamos ver, se um dia o pique volta. O futuro é incerto, não sei se terei, em breve, tempo de sobra, ou tempo de menos. Enfim, que venha o que vier, vamos ao que interessa!

Ler Agatha, para mim sempre foi uma grande distração, um momento em que sempre questionava por que não a indicavam na escola, fingindo a inexistência, ou mesmo quando questionado era algo de revirarem os olhos. Enfim, acho que nunca vou entender esse tipo  de revolta. Sabemos que Agatha não é a única! (Só fui conhecer Tolkien numa propaganda do ICQ!!).

Parêntesis a parte, com esse caso não foi diferente, a única ideia que fazia da história era que um psicopata em série utilizava-se de uma regra alfabética para a escolha de suas vítimas, e, como sempre surge a expectativa, quem será o detetive da vez? Poirot, que vive se aposentando, aparece mais uma vez, em fim de carreira sendo desafiado pelo tal assassino(a) que lhe envia cartas anônimas, pois, quem está acostumado com Agatha sabe, uma mente criminosa é orgulhosa, e adora um holofote.

Agora a realidade: já li melhores! Sim, apesar de toda a trama, essa história não é empolgante, não fiquei curiosa, na verdade nem estava interessada em saber quem foi ou seu motivo, talvez tenha imaginado até qual letra chegaria, e qual nome obscuro viria em alguma letra pouco usual, mas, nem me importei depois de lembrar que em Inglês não existam letras pouco usuais… enfim, o assassino(a): matou, gabou-se e foi descoberto. Afinal, Poirot tem muitas células cinzentas agindo a seu favor.

Nota 2 (1 – 5) está de ótimo tamanho.

Autor: Agatha Christie
Título: Os Crimes ABC
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 197
Ano de publicação:  1936

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.