Literatura

Bilbo Hobbit, em quadrinhos

O Desafio Literário de Outubro vem com o tema Graphic Novels. E eu não podia deixar de escolher o Hobbit em Quadrinhos que tenho há um bom tempo. Tenho a versão original também, que já li duas vezes, e, como vem o filme no fim do ano, achei que seria uma ótima (e rápida) recapitulação da obra. Não deve ter sido fácil a adaptação para quadrinhos, logo percebe-se o quanto existem quadrinhos com 80% apenas narração, assim, as páginas acabam sendo bem looongas, e as imagens, hum, são bonitinhas.

Apesar do Hobbit ter sido encomendado para crianças, não o considero tão infantil assim, e já diz a lenda: quando o editor gostou de o Hobbit, pediu mais do mesmo, e continuou frisando no “infantil” e aí, já sabemos, saiu a trilogia do Anel. 🙂

Li o quadrinho para meu filho, de 7 anos, mas tive que fazer um bom exercício de paciência, pois, como citei, o texto continua longo, e não há imagens que distraiam uma criança por tanto tempo. Ele lembrou de alguns dos personagens do filme (sim, ele assistiu o Senhor dos Anéis), e chegou a comentar que o Gollum estava muito assustador e feio no livro. Os orcs, hummm, criaturinhas verdes e que falam muito errado (pense em ler em voz alta as frases de Gollum! Cheias de “ssss” e imitar um som um tanto quanto gutural. Missão difícil, lá pela metade eu já estava imaginando se havia sido uma boa ideia essa leitura).

Acredito que o principal todos já saibam: tudo começou com Bilbo Baggins. E dessa vez vou fazer um pouquinho diferente, ao invés de transcrever alguns dos trechos que mais gostei, vou colocar as fotos.

Essa é básica (e a dúvida é em qual das 3 partes do filme ela irá aparecer?)

E essa, é uma de minhas cenas favoritas.

Nota 5 (1 – 5) .

Autor: J.R.R.Tolkien
Adaptação: Charles Dixon
Arte: David Wenzel
Título: Bilbo Hobbit
Número de páginas: 134
Ano de publicação: 2002

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.

  • Eu sempre tenho uma impressão distante da obra. Sei que não a li e talvez o distanciamento seja em razão disso. Ou talvez falta de interesse ou alheamento. Eu sinceramente não sei. Gostei muito da percepção do seu filho quanto à leitura. Bela experiência. Beijocas!