Literatura

Macacote e Porco Pança, de Ruth Rocha

macacote_e_porco_pancaO livro desta semana foi bem mais leve, comparado ao da semana anterior, Macacote e Porco Pança, foi facilmente lido num folego só e poderia ter sido lido e relido. Fonte grande, tudo em maiúsculo, e frases pequenas, eu diria que, bem bobinho, vazio.

A história me enganou, pelo título a traça de sebo aqui, imaginou ooooutra coisa, e, foi tão vago, que quando vi a história já havia terminado. Sem mais profundidade ou qualquer menção honrosa a Cervantes. Sabe, bem aquela coisa de “comecei a contar a história e… fim”. Não estou exagerando.

Eu fico horrorizada com esses livrinhos que não ensinam nada de novo, tratam as crianças como se não pudessem pensar sozinhas. Ou, como quem tem medo de ser questionado. Ufa, falei…. Não é de hoje que estou entalada com as histórias vazias dessa autora. Se for para aprender com frases soltas, pode deixar que eu mesma arrumo. E com certeza com mais significado.

Resumindo eu tive a impressão de ter lido sobre a morte de um sonho. E de repente o macaquinho aventureiro sofre com as gozações dos outros e pára de inventar, de querer viver aventuras, começa a trabalhar, casa, tem filhos. Enfim, cresceu virou um cara sério, pois somente assim a macaquinha dos sonhos dele se apaixonou por ele. Cadê a fantasia?

SAMSUNG

Filhote curtiu, pelo fácil entendimento, mas não pediu releitura. Não é algo que cativa. Ele se virou sozinho e se apaixonou pelas as gravuras, e aqui entra um grande parêntesis, a ilustração sim, está de parabéns, adorei, aliás, adoramos.

Camera Uploads

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.