Literatura

A Primavera do Dragão, de Nelson Motta

a_primavera_do_dragaoNa saideira do Desafio Literário de abril, em uma tentativa louca de redimir a péssima experiência da primeira leitura para o mês, venho com A Primavera do Dragão, um livro de Nelson Motta, que conta a história de Glauber Rocha. Este livro era para ter saído a bastante tempo, mas ficou por muito tempo no forno, sendo publicado apenas em 2011.

Cheguei a essa leitura totalmente boiando, mal ouvi falar de Glauber Rocha, sei apenas o básico, e, talvez por estar tão sem expectativas, deparei-me com uma história super interessante. Bem coisa de você querer saber como é o enredo, já que o desfecho, é super conhecido. O que chama minha atenção em biografias é a surpresa em deparar-me pensando “nossa, ele conheceu ciclano, fulano, conviveu com beltrano”, isso são detalhes, que depois de certo tempo, não pensamos, mas, que mesmo como cultura inútil, acho interessante. São influências que levamos para nossas obras, para nossa vida, e para nosso trabalho que acabam fazendo certa diferença. Saber que o cara babava por Fidel, que era fanático por Sartre, hoje em dia é um tanto chato, mas, imagine a época em que isso aconteceu, em que tudo era barrado pela censura. Estranho ligar tudo isso. Difícil ler  a história de um outro mundo que não esteja no eixo São Paulo/Rio.

Recomendo a leitura, mesmo para os não fanáticos por cinema, nem pela pessoa, recomendo pelo prazer da leitura e pelo prazer de conhecer outra história, outro ponto de vista, tão diferente desse nosso de hoje, e, ao mesmo tempo, tão igual. Sua juventude, sua vida, sua carreira. Parece fácil, mas não deve ter sido.

Pátio, primeiro curta de Glauber Rocha:

 

“Em Maceió embarcaram rumo a Recife, no Trem das Alagoas, que inspira o famoso poema de Ascenso Ferreira, adorado pela turma e um dos sucessos das Jogralescas.

O sino bate,
o condutor apita o apito,
solta o trem um grito,
põe-se logo a caminhar…
– Vou danado pra Catende,
vou danado pra Catende,
com vontade de chegar…
Mergulham mocambos,
nos mangues molhados,
moleques mulatos,
vêm vê-lo passar.”

“Deus nos livre dos estrangeiros. Até hoje, noventa por cento do n osso cinama foi abaixo por causa de  uns italianos que chegaram aqui e foram bajulados pelo esnobismo capitalista de São Paulo.”

Nota 4 (1 – 5) .

Autor: Nelson Motta
Título: A Primavera do Dragão
Número de páginas: 368
Ano de publicação: 2011

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.