Literatura

Era uma vez um tatu-bola…, de Bia Villela

Era uma vez um tatu-bola, de Bia Villela
Depois de tantas semanas sem vir um livrinho, eu já estava acreditando que a festa tinha acabado.

Foi quando terça-feira filhote chegou todo feliz dizendo”hoje veio livro!!! “. E olha só, esse ele leu sozinho, sem pedir ajuda alguma!  Orgulho. Isso motivou ainda mais ele, que está entrando nesse mundo todo empolgado. A leitura, nem preciso dizer, é leve, os parágrafos são curtíssimo, próprios mesmo para quem está aprendendo. E o Giovanne ainda tem aquela preguicinha ao se deparar com muito texto, momentos em que ele pede ajudinha. Nessas horas, eu não nego a ajuda, pois a ideia é que ele tenha o prazer da leitura, não importa como seja, e não a imposição da obrigação do “você tem que…”, que mais afasta do que chega a algum objetivo.

Estou torcendo muito para que esse prazer vire um hábito. Agora eu tenho quem leia histórias para mim. 🙂

Agora, se fosse indicar, eu indicaria para crianças mais novinha do que ele, pois a diversão aqui, foi realmente o fato de conseguir ler sozinho. O desafio mesmo, não foi difícil. Acredito que em mais algumas leituras ele “decore” a história e não se interesse mais.

Era uma vez um tatu-bola, de Bia Villela

E tomara que o próximo não demore muito. Logo, teremos mais surpresinhas por aqui.

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.