Cinema

Para se inspirar: Apenas uma vez

20080903-apenas-uma-vez-poster02

Nunca falei de filmes por aqui, mas, depois da leitura, essa é uma das coisas que mais curto. Aliás, tem uma série de coisas, quem sabe um dia eu digo por aqui (ou não). Gosto de buscar por filmes não muito falados, principalmente depois que assinamos Netflix, e hoje, depois de quase dois meses sem internet, consegui realizar meu intento.

Zapeando pelos filmes disponíveis, notei um que já havia marcado em minha lista (ainda bem que ela existe), e resolvi assistir. Devo tê-lo escolhido pela capa, um cara com um violão, uma moça, imaginei que fosse uma história romântica, e filmes assim, já nem insisto para o maridão ver junto, pois entendo que ele não goste, assim como fico feliz dele não me chamar para assistir filmes de guerra ou humor duvidoso. Irônico ou não, filhote sempre me acompanha, independente do idioma e, ele me acompanhou em inglês mesmo.

O filme foi traduzido como “Apenas uma vez”, sendo o original “Once”, conta a história de um músico de rua, que acaba fazendo amizade com uma garota, que vende flores, faz limpeza em casa de família e adora música. Conversa vai, conversa vem, eles começam a cantar e compor. É inspirador, digo, cada um tem seus afazeres, mas eles encontram na música uma válvula, que os leva para outro mundo, uma abstração total. Incrível imaginar que isso pode ser aplicado a qualquer área, não apenas a música, pode ser um passei no parque, tirar fotografia, ler um livro, criar uma história. Enfim, qualquer coisa que faça sua alma vibrar e comunicar-se com o Universo. Tornar-se uno. Valeu a pena, pela companhia do filhote, e ele todo animado em treinar o violão e me ensinar o que ele sabe de piano. Babei. Terminei o filme cheia de ideias e quereres. Até música deu vontade de fazer, srsrs.

Que seja assim, viver pleno e curtir cada segundo. Não importa o quanto nos julguem.

Em que você se inspira? Tem algum truque? Um rito? Técnica?

Pode contar, vou adorar saber.

Beijinhos.

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.