Literatura

As Vantagens De Ser Invisível, de Stephen Chbosky

03-As-Vantagens-de-Ser-Invisível

Estou aqui mais para fazer um relato do que para resenha, como normalmente faço. Minha ideia de escrever aqui sempre foi mesmo passar impressões e não contar a história. Já tive muitos casos de olhar para a capa e nem lembrar que li. E esse meu cantinho me ajuda com esses apagões. Assim também consigo separar os livros em duas listas:

1) doar;

2) guardar para reler.

Eu decidi ler esse livro, depois de encontrar um texto falando sobre o Charlie e os livros que ele leu enquanto escrevia as cartas, aí juntei: livros? cartas? Puxa, eu gosto!

Quando comecei a leitura, o filme apareceu na Netflix, e eu não pensei duas vezes, dei play na hora. Não pensei em todos os leros-leros convencionais de que o livro é sempre melhor. Não, eu não gosto de dar ouvidos a nada disso, gosto de ter minhas impressões. E sim, já achei muito filme melhor que livro, apesar de isso ser um caso em um milhão. Normalmente eu os encaro como apelos diferentes e nunca espero que o filme seja o livro. Talvez por isso os filmes não me decepcionem tanto. Eu adorei o filme e terminei cheia de ideias. Segui com a leitura. Assisti e o filme mais uma vez, e sai com uma lista de músicas. Fazia tempo que não lia um livro que despertasse tanto. Consegui entender o que ele diz com “sentir-se infinito”.

Acredito que exista um momento certo para lermos um livro. Quando forçamos uma leitura, o tempo todo parece denso, parece que empurramos algo para dentro e ao terminarmos a sensação de alívio vem a tona, e o guardamos bem fundo no baú. Tamanho o trauma da situação. Ao ler As vantagens de ser invisível, eu tive tantas recordações e vieram tantas coisas a mente, que no último capítulo eu simplesmente decidi parar a leitura. Não, não estava ruim, eu simplesmente queria ficar com a história em mim por mais um dia. Passei um dia com a sensação de que logo mais nos despediríamos. Não foi um adeus.

Indico filme e livro, tanto pela música, como pela poesia.

Não é uma história para adolescentes, como foi vendido. É uma história para quem viveu sua adolescência ou pré-adolescência nos anos 90. É uma história que simplesmente te faz lembrar daquela época, e  mesmo que em termos culturais seja tão diferente da nossa, mas que nos faz lembrar e rir muito do que passamos. Não tem como não ter essas lembranças e uma lágrima nostálgica não escorrer teimosa.

É um livro com muitas entrelinhas, te faz pensar. Charlie simplesmente consegue ser quem ele é: invisível. Ele conta através de suas cartas para um desconhecido, todas as suas dúvidas e amarguras.

E, como ele mesmo descreve, ele tem o  “melhor professor de inglês que teve até então em sua vida”. Esse professor identifica o potencial de Charlie e percebe o quanto ele se anula ao não participar das aulas, mesmo sabendo todas as respostas. Diante disso, passa a dar trabalhos extras para Charlie, não como castigo, mas como prêmio, pois Charlie parece ser seu único aluno interessado realmente em aprender algo. Ao final do ano, a lição mais importante é aprendida: participar mais da vida.

Eu citaria o livro inteiro se pudesse, fazia tempo que não adicionava tantas marcações. Vou me conter, e mencionar apenas algumas.

“É como se ele tirasse uma foto da Sam e a foto saísse linda. E ele pensasse que o motivo para a foto sair bonita fosse ele fotografar bem. Se eu fizesse a foto, saberia que o único motivo da beleza é a própria Sam.”

“Então, eu acho que somos quem somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas.”

“E  naquele momento eu seria capaz de jurar que éramos infinitos.”

Nota 5 (1 – 5) .

Autor: Stephen Chbosky
Título: As Vantagens De Ser Invisível
Número de páginas: 224 (epub)
Ano de publicação: 1992

Beijinhos

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.