Literatura

A Flauta Mágica, de Dionisio Jacob

Essa foi a leitura mais divertida do ano, sem dúvidas, Papagueno conquista no palco e nas páginas. Já assisti a adaptação da peça, mas lembro-me bem pouco. Minha lembrança pontuava em alguns trechos e, claro, no solo da Rainha da Noite, que todo munda imita, e sim, passei pelo episódio Capitão América reverso: – Nossa, é daí a referência?

Esse livro foi mais um dos que o Giovanne trouxe da escola, e acabamos lendo juntos, pois para ajudar, ele trouxe dois volumes. Essa escola é muito amor. ❤

Os momentos mais divertidos foram quando tentávamos ler Papagueno num respiro só, apenas por diversão, acabamos descobrindo a essência de alguns personagens ao tentar imitá-los, falando como se fôssemos os próprios.

Sobre A Flauta Mágica, essa adaptação está incrível, super adequada para a idade proposta, acho que é 12 anos. Para o Giovanne, nada que um dicionário, um Google ou uma mãe por perto para dar aquela ajudinha. Ele curtiu bastante e eu também.

– Papagueno mandava chamar muitos sábios. Sábios de toda parte do mundo. Colocava todos numa sala, dava comida, porque só penar não engorda ninguém, e dizia para eles: pensem muitas e variadas sabedorias e vão escrevendo. Também dava borracha, porque até sábio se engana às vezes. Aí Papagueno saía para caçar e pescar. E namorar também, que Papagueno não é de ferro. E quando a cabeça de Papagueno estivesse confusa, ele apanhava o que os sábios tinham escrito e pronto. Questão resolvida!

– Perdidinhos. E Papagueno está também com um pouco de medo. Não com um medão assim desse tamanho. Mas também não um medido muito fino. Um medo médio, sabe como é? Um medo de bom tamanho, razoável, normal, mas assustador, por que senão nem seria medo, entende?

Nota 5 (1 – 5) .
Autor: Dionisio Jacob
Título: A Flauta Mágica
Número de páginas: 220
Ano de publicação: 2015

Paz e bem.

Criatura da área de exatas que ama ler e estudar além de esconder-se na bolha. Típico né? Apenas buscando um lugar discreto e elegante ao sol. Programadora web, leitora compulsiva, ama o belo e exótico, apreciadora de uma boa música.